Faaala Su! Tudo joia? Estou muito feliz com minhas férias. Estou vivenciando a primeira semana longe de qualquer livro escolar, só depois que volto para eles kkkk. Aquilo que você falou na última conversa sobre estar grata a Deus pelo tempo de descanso e de trabalho me fez pensar, sabe…é muito bom poder estudar, mas está okay me sentir cansada e querer descansar também. Não significa que estou sendo ingrata com a oportunidade de ir à escola. Gostaria de te contar um pouquinho sobre minha vida romântica: eu e meu amigo conversamos sobre nossos sentimentos. Assim com as vezes sinto que estou apaixonada por ele e em outras vezes não, ele disse também sentir o mesmo. Um peso enorme saiu das minhas costas e sou profundamente agradecida a Deus porque ele continuou sendo meu amigo e me tratando com naturalidade, coisa que eu estava com medo de não acontecer. Hoje tenho uma dúvida sobre provérbios: em especial a parte 11.30 na minha versão e na Almeida. Eu pensei que na NTLH é sábio quem aumenta o número de amigos porque isso traria benção para a vida dessas pessoas. Mas não sei se a interpretação é essa mesma. Além disso, em muitas situações, eu acho o livro de Provérbios muito meritocrático. Eu vejo meu pai trabalhando sem ser preguiçoso e nem por isso estamos enriquecendo exatamente. Pelo contrário, não me lembro em qual ano foi que ficamos tranquilo quanto as muitas contas para pagar. Então, na verdade, esses conselhos são gerais, né? Por que se fossem específicos, acredito que a nossa situação de vida seria diferente… Eu gostaria de ajudá-los, mas eles querem que eu foque nos estudos. Mesmo, assim, além de responder minha dúvida quanto à isso, será que você teria algum conselho de trabalho que eu poderia fazer? Algo que pudesse ser feito em casa nessas férias? Se eu não trabalhar agora, pelo menos vou ter umas ideias para o futuro. Já pensei em brigadeiros, artesanato… Você também vai tirar férias? Até mais Su, muitos beijos. D.

Hello, D.! Que bom vê-la por aqui e saber que você está usando suas férias para descansar um pouco. Isso também é sinal de gratidão e confiança em Deus (afinal, ele dá a oportunidade de estudo, mas também dá a oportunidade de descanso!).
Graças a Deus porque ele permitiu que você tivesse essa conversa franca com seu amigo. As coisas se descomplicam um pouco quando entendemos que essas variações de sentimento são naturais e, portanto, que não precisamos (nem devemos) tomar decisões em função delas, mas apenas reconhecê-las e pedir sabedoria de Deus, um passo de cada vez.

Quanto a Provérbios 11.30, na verdade são duas ideias separadas. Primeiro, ser “árvore de vida” (ou trazer bênção para a vida de outros, como diz a NTLH) é consequência de ter uma vida correta, justa, do tipo que agrada a Deus. Segundo, é sábio desenvolver bons relacionamentos (“ganhar almas”, como diz a ARA), pois ninguém foi criado para viver isolado, para se virar sozinho. Em algum momento, precisamos da ajuda de outros. Podemos até juntar as duas coisas e concluir que é bom ter relacionamentos saudáveis, ser bênção para outros e saber que podemos contar com a ajuda deles, mas não é obrigatoriamente o sentido imediato dos dois provérbios separados que aparecem nesse versículo.

É bem importante, ainda, lembrar que Provérbios é, em vários trechos, um livro de observações e constatações gerais. Muitas vezes, Salomão está falando de coisas que ele viu com maior frequência ao estudar a natureza e a sociedade ao seu redor. Portanto, não é um livro de promessas e leis absolutas. No tempo de Salomão, um agricultor que trabalhava com dedicação em suas terras, por exemplo, tinha boas colheitas e, portanto, trazia estabilidade material para si e sua família (em contraste com o preguiçoso que não cultivava suas terras e tinha de mendigar ou morria de fome). Essa é uma observação geral. Mas, alguém podia dar duro e, ainda assim, sofrer consequências de calamidades naturais, como secas ou pragas que impediam a terra de produzir apesar de todo o trabalho.

E é bom ter em mente que trabalho árduo talvez não resulte na desejada estabilidade financeira, pois vivemos em um mundo injusto, em que Deus ainda não colocou tudo em ordem. Ainda assim, Deus promete cuidado, provisão, paz de espírito e uma consciência tranquila para o trabalhador honesto.

O que nos leva a sua pergunta seguinte, sobre o que fazer para ajudar em casa. Muito legal essa sua preocupação e seu desejo de contribuir. Artesanato e alimentos são duas opções interessantes, com inúmeras oportunidades. Outra área é de prestação de serviços. Um exemplo é dar aulas particulares de reforço/auxílio com tarefas para alunos do ensino fundamental (você pode anunciar na igreja, escola, vizinhança). Ou ser baby-sitter nos finais de semana. Ou cuidar das plantas e animais de estimação de quem viaja ou não tem tempo (você pode oferecer esse serviço por meio de pet shops). Peça para Deus lhe dar inspiração e criatividade 🙂

Se Deus quiser, minhas férias serão no fim do ano. Sou grata a Deus porque ele tem dado forças para os vários projetos interessantes para terminar até lá!

Maravilhoso tempo de descanso para você e até a próxima!
Kisses,

Su

 

Compartilhe!:

Posts Relacionados