Há alguns meses atrás eu descobri que meu melhor amigo é apaixonado por mim, por sorte, eu também sou. Ele me pediu em namoro e após 1 mês recebemos a resposta de Deus, dizendo que nós deveríamos esperar. Nós ficamos tristes, mas entendemos que é o melhor. Ainda somos jovens, ambos com 16 anos, mas temos uma mentalidade diferente da maioria. Nunca beijamos ninguém; e apesar da idade, já planejamos nos casar no futuro. Enfim, enrolei tanto para perguntar, abraçar ele e segurar a mão dele é errado? Dizer “Eu te amo” é errado? Sabe, nós nunca nos beijamos; nunca saímos juntos, a gente só se vê na escola e por isso, na maioria das vezes, temos apenas 40 minutos para conversar (divididos em 2 tempos, a hora da entrada e intervalo). Mas mesmo assim, o que sentimos é forte, ele é meu melhor amigo, além de ser o garoto que eu amo. Mas eu fico pensando se é errado abraçar ele ou segurar a mão dele enquanto nós conversamos. Confesso que já o abracei no pescoço, enquanto ele abraçou minha cintura, o que acabou deixando nossos corpos próximos; o abraço durou alguns minutos. Mas depois eu percebi que não devia, e conversei com ele sobre isso. Em geral, nos abraçamos sentados, onde eu simplesmente deito no ombro dele e ele me abraça no ombro. Outro sim, às vezes trocamos beijinhos na bochecha, existe algum problema nisso? A. Oi, eu enviei uma pergunta sobre meu melhor amigo que me pediu em namoro e agora está esperando por mim. Enfim, sabe, só minha mãe e minha tia que sabem. Mas minha tia odiou isso; por muito tempo ela me machucou; ficou sem falar comigo; eu chorei tanto, eu chegava a pedir perdão pra Deus por estar apaixonada; doía demais, porque eu só gostava dele sabe? Eu só queria que as pessoas entendessem isso. Agora está um pouco mais normal. Eu consigo falar dele até, mas eu ainda tenho muito medo de falar o nome dele. O problema é que, eu sempre tive problemas com amizade; e isso não mudou, ele é meu único amigo lá na escola. Eu até falo com uma menina, mas nós somos mais colegas sabe? E as outras meninas não gostam de mim. Eu até tinha outra amiga, mas chegaram duas meninas novas na sala, e ela parou de falar comigo pra andar com elas. Então, só sobrou ele sabe. Ele me conhece bem; eu desabafo com ele. Sabe, esse menino é a pessoa que eu sempre precisei; sempre pedi a Deus. Porque, eu já sofri bullying (estou na minha 3ª escola agora); minha antiga melhor amiga ficou do lado das meninas que praticaram. Eu mudei de escola, lá eu fiz uma amizade, daquelas que te tratam como última opção sabe? Quando a menina estava sozinha, eu existia pra ela. Mas sabe, era o que eu tinha no momento. Só que depois desse menino, eu percebi o quanto eu sofri. Porque sempre me zoavam por conta da minha aparência, do meu jeito de ser; eu me achava um problema na vida das pessoas. Mas ele me mostrou o contrário, eu sinto que Deus colocou ele na minha vida, por conta disso também. Eu já cheguei varias vezes perto da depressão. Mas agora não, esse menino me faz sorrir; ele diz que eu preciso me amar, porque Deus me fez especial; ele diz que eu sou linda, e ele me elogia sempre sabe, ele sempre tenta fazer eu me sentir bem. E é o que eu sempre precisei; alguém pra valorizar minha amizade entende? E eu encontrei ele. Mas sabe, minha mãe e minha tia não gostam muito da ideia. Elas não gostam que eu tenha amizade com meninos. Tanto que, ele é meu primeiro amigo menino. E as vezes eu acho isso triste sabe, porque, ele sempre está nos meus grupos de trabalho e elas já chegaram a me proibir de ir fazer trabalho, porque ele estaria lá (com mais pessoas). Às vezes eu sou um pouco presa demais sabe. Eu nunca saí de casa sozinha; eu farei 16 anos, e ainda me levam e buscam na escola. Eu não me incomodo. E antes eu nunca quis sair com alguém, porque eu não tinha amigas. Mas agora eu queria sair com esse amigo, eu sei que é impossível, então eu nunca peço. O menino entende isso; a mãe dele me chama pra sair com eles; mas ele diz que eu não posso. Ele fica triste, mas tudo bem, porque eu também. Só que, ele entende que eu não posso; não insiste nem nada. E aí acaba que a gente só se vê na escola; conversamos pouco, ele faz curso, então não temos tempo direito. E eu tenho que guardar o celular cedo. Enfim, eu sinto falta dele; eu queria poder passar mais tempo com ele, mas eu sei que não dá. Eu só fico mais triste quando eu acabado correndo o risco de ficar sem nota nos trabalhos, por não poder me encontrar com o grupo. O que eu faço pra aceitarem ele melhor? Ninguém entende que ele é meu único amigo lá na escola, quer dizer, de amigos eu tenho Jesus, minha família e esse menino. Ele é o único amigo que é da minha idade. Eu não tenho amigas na igreja também (eu tenho muita dificuldade mesmo pra fazer amizade). Mas ninguém entende, ninguém entende que eu tenho dificuldade; ninguém entende que ele é meu amigo. Ele não é um monstro sabe. Ele é uma boa pessoa; a única que já valorizou minha amizade. Só que ninguém liga pra o lado bom da história, todo mundo só vê que “ele pediu ela em namoro” (e isso não deveria ser ruim né?). Poxa, se ele me respeita, qual o problema? A.

Hello, A.! Vou responder suas perguntas juntas, uma vez que tratam do mesmo assunto.

Imagino como esteja sendo difícil lidar tanto com esse tempo de espera como com a atitude de sua família em relação ao menino.

Em minha opinião, valeria muito a pena você tentar expressar para sua mãe (por enquanto, deixe sua tia de fora para não complicar demais) aquilo que você me falou – sobre como esse amigo é importante para você, especialmente depois de suas experiências de bullying. Como esse é um assunto difícil de conversar, minha sugestão é que você escreva uma carta para sua mãe. Você pode até usar como referência aquilo que você escreveu para mim. Procure se expressar com calma, de um jeito respeitoso, mas deixando claro que essa situação está magoando você, prejudicando seus estudos, e que você precisa do apoio e da ajuda de sua família.

De fato, não é crime o menino ter pedido você em namoro (rsrs). Pode ser importante, contudo, você explicar direitinho para sua mãe (mesmo que você já tenha feito isso antes) que vocês dois oraram e que resolveram continuar sendo amigos e esperar Deus mostrar o próximo passo – e nada mais. Se possível, diga/escreva para sua mãe que você quer fazer as coisas com seriedade e maturidade, e que seria muito legal ela orar com você sobre esse assunto. Quanto mais honesta você for com sua mãe, menos difícil (note que eu não disse mais fácil, rs) será ela entender que você não é mais criança e que, portanto, merece mais confiança e liberdade.

Antes de escrever para sua mãe, porém, fale com Deus. Coloque essa situação diante dele e peça para ele lhe dar as palavras certas para essa carta. Ore, também, para Deus falar ao coração de sua mãe e ajudar vocês a chegarem a um acordo a esse respeito.

E, por fim, quanto aos beijos e abraços, meu conselho é que vocês não valorizem demais a parte física, por mais vontade que dê (o que é natural). Digo isso porque quanto mais a gente a parte física, mais difícil fica de esperar pelo tempo de Deus. Guarde as expressões físicas de carinho para muito de vez em quando, e não para toda hora 🙂 Converse sobre isso com o menino e, em oração, busquem limites para esse aspecto do seu relacionamento. Abraços longos, beijos frequentes, andar de mãos dadas são coisas reservadas para um compromisso de namoro, que por enquanto não é o caso de vocês. Sim, eu sei o quanto é difícil, mas esses limites são para ajudar vocês e para não complicar mais as coisas (inclusive com sua família).

Deus está profundamente interessado em ajudar você com todos os detalhes desse momento. Confie nisso! E, sempre que quiser conversar, passe aqui. Estamos à disposição!

 

Kisses,

Su

Compartilhe!:

Posts Relacionados