Obrigada por tudo o que disse na nossa última conversa, foi muito útil e tem sido continuamente. Gostaria de saber uma coisa, mas acredite, não quero causar confusão. Acho que minha pergunta é “neutra” o suficiente para que isso não ocorra kk. Apesar da minha idade, esse ano decidi não votar, não acho que eu esteja preparada e não gosto da ideia de escolher “o menos pior”, por isso, caso fosse votar, seria nulo. Eu tenho meus motivos e não sei se são sólidos o suficiente, mas acredito neles nesse momento. Entretanto, as pessoas acham esse meu posicionamento errado, antidemocrático. Eu as entendo. Queria saber: você acha que Deus ministra uma coisa diferente em relação à política em cada coração? Para alguns ele direciona uma forma de pensar e um desejo de votar em fulano ou cicrano, para outros ele direciona para um voto em branco, para outros (como eu, que não me sinto representada) o nulo? Acha que o mesmo Deus que servimos só permite isso? A minha igreja e vídeos do como o do pastor Luciano Subirá tem falado sobre política, sobre como os cristãos não devem abster-se dela. Eu creio, que eu na minha decisão de votar nulo, estaria fazendo a melhor escolha possível e creio também que aqueles que tem candidato definido também imaginam estar tomando a melhor decisão. Quando a gente sabe pelo menos o mínimo da merreca do mínimo sobre o assunto, penso que acreditamos estar tomando uma boa decisão. O que você acha? Um menino me disse que se eu voltasse nulo não estaria exercendo meu direito, não poderia reclamar depois. Não consigo concordar com ele. Votando nulo ou não, alguém será eleito, eu permanecerei sendo cidadã, e alguém nos oprimirá de algum jeito. Se eu continuo nessa sociedade, independente do meu voto, tenho o direito de exigir do político que ele cumpra o que falou. Não sou menos digna, apta ou menos exigente em relação ao governo porque não escolhi alguém. Já sei o que devemos observar, como cristãos, para fazer uma boa escolha. Não acho que eu esteja deixando que os outros decidam por mim, e se estiver, no final das contas, ainda é minha escolha. Tem outra coisa também: normalmente as pessoas dizem sobre as políticas propostas pelo eleito, mas não analisam sua moralidade (as coisas que disse/diz, o modo de pensar ainda que não interfira no Estado). Eu levar isso em consideração é uma máquina ideia? Percebo que meu ranço é muito mais pessoal (pois me sinto profundamente ofendida) do que pelas ideias em si. Sei também que não existirá alguém perfeito. A diferença é que uns divulgam sua podridão ética e outros a guardam para si, mas no final, diferem em pouca coisa. Eu sei que o objetivo do blog não é falar sobre política porque esse assunto traz problemas. Se você achar que esse texto pode trazer isso, te mando outro só com as perguntas, sem minha opinião na semana que vem. Bom domingo de eleições, que Deus te abençoe! D.

Hello, D.! Quando comentei esses dias aqui no blog que não conversamos sobre política, na verdade não fui muito clara. Minha intenção era dizer que não falamos sobre candidatos e partidos, pois esses temas geram discussões inúteis. Os conceitos ligados à política, à nossa cidadania e ao que tudo isso tem a ver com nosso relacionamento com Deus são importantes e precisam ser conversados.

A primeira coisa que eu tenho de lhe dizer é que eu não voto. Votei apenas uma vez na vida, para saber como era, rsrs. Minha convicção pessoal diante de Deus é semelhante ao que você expressou: se é para votar no “menos pior” ou “menos corrupto”, ou apenas dar voto útil para tentar garantir que este ou aquele candidato não será eleito, melhor ficar em casa. Como disse, é uma convicção pessoal. Tenho o direito por lei de não votar (desde que lide com as consequências) e usufruo desse direito. Você não deixa de ser cidadã, com outros direitos e deveres, só porque resolveu não votar.

E acredito, sim, que Deus fala a cada cristão de forma diferente – não sobre candidatos ou partidos específicos, mas sobre como participar direta ou indiretamente do processo democrático. Deixar de votar não é ser antidemocrático. A meu ver, o que é contrário à verdadeira democracia é continuar votando em pessoas que não são dignas de um cargo de governo.

Assim como Deus tem um lugar diferente para cada um de nós dentro da sociedade no que diz respeito a vocação profissional, contribuição cultural e auxílio social, acredito que ele também pode ter planos diferentes para cada cristão dentro do âmbito político. Se você não consegue votar em alguém com a consciência tranquila, não vote. Entenda, contudo, que isso é entre você e Deus – e mais ninguém. Talvez outro cristão seja capaz de votar com boa consciência. O mais importante de lembrarmos, no fim das contas, é que nada acontece sem a permissão de Deus. Nada foge da soberania dele. Se candidato X ou Y for eleito, é porque Deus permitiu. Não significa, porém, que aquele é um candidato “escolhido por Deus”. Existe uma grande diferença aí. Deus tem dois tipos de vontade: diretiva (quando ele intervém ativamente e faz com que algo aconteça) e permissiva (quando ele simplesmente deixa que algo aconteça, mesmo que não seja o ideal dele).

A meu ver, nossas “democracias” fugiram do ideal de Deus faz muuuuito tempo. O mundo está caminhando para uma desintegração, como a Bíblia nos mostra. A pergunta é o que nós cristãos podemos fazer como indivíduos e como comunidade para amenizar o sofrimento, trazer algum conforto e, principalmente, apresentar a esperança de vida eterna. Para alguns cristãos, talvez esse trabalho passe pela política. Para outros, talvez fiquem bem longe dela. Em vez de esperar que o governo nos dê escolas, hospitais, etc., talvez nós cristãos devamos trabalhar juntos com mais afinco para oferecer essas coisas a nossas comunidades. Ando estudando uma ideia chamada “Opção Beneditina”. Pesquise online. No Brasil é mais ligada aos católicos, mas em outras partes do mundo tem muitos adeptos protestantes também.

Votando ou não, uma coisa podemos e devemos fazer: orar por nosso país, clamando pela misericórdia de Deus sobre todos nós, para que ele nos sustente até a volta de Cristo.

Bom domingo de votação para você também!

 

Kisses,

Su

Compartilhe!:

Posts Relacionados