Querida Su, (1) que é o amor entre amigos? (2) Por que Deus criou todos os seres humanos se não vai salvar todos eles, se vai escolher alguns para isso? (3) Na minha idade, o que é ser uma menina independente? Eu não saio sozinha, não durmo em casa de amigas, não vou ao shopping com elas, mas não me sinto triste por isso, sinceramente, gosto que seja assim. (4) As vezes eu sou muito lenta para fazer qualquer tarefa, você também tem dificuldades com isso? (5) É falta de independência da minha parte vir buscar ajuda aqui? Será que eu deveria estar fazendo pesquisas a respeito ao invés de vir te pergunto? Como adolescente, é normal ter uma certa dependência emocional? Como posso melhorar isso, queria ser capaz de resolver meus problemas sozinha, mas as vezes não acho isso certo. Acredito que todos tenham uma certa carência emocional, para depender de Deus e das pessoas que ele coloca em nossas vidas, de maneira que não nos tornamos soberbas. O que você acha? Beijos e abraços, D.

Hello, D.! Eu numerei as perguntas no seu texto para responder uma por vez. Vamos começar pelo começo, rsrs.

(1) Amor entre amigos é aquilo que Paulo descreve em 1Coríntios 13 demonstrado na prática entre duas pessoas que assumiram um compromisso de amizade. Alguns bons exemplos na Bíblia são Rute e Noemi (no livro de Rute), Davi e Jônatas (em 1Samuel) e Jesus e seus apóstolos mais chegados: Pedro, Tiago e João (nos Evangelhos). Em cada amizade esse amor vai assumir algumas características específicas e, ao longo dos anos, também vai se manifestar de formas diferentes. Releia o texto de 1Coríntios e dê uma espiada nesses exemplos que mencionei e veja o que você pensa. Se quiser, volte para conversarmos mais sobre essa questão.

(2) Deus criou todos os seres humanos com algo chamado livre arbítrio. Ou seja, se ele tivesse criado só pessoas que o aceitariam, nós seríamos robôs. Ele nos criou para nos relacionarmos com ele livremente. Uma forma interessante de entender essa questão é proposta por uma linha de pensamento chamada molinismo. De acordo com esse raciocínio, antes de criar o mundo, Deus imaginou todos os mundos possíveis, com todos os seres humanos possíveis. Ele poderia ter criado qualquer uma dessas possibilidades. Então, depois de “avaliar” todos os cenários hipotéticos, Deus criou o mundo em que o maior número possível de pessoas o escolheria livremente. Este mundo em que vivemos hoje é o mundo no qual Deus pode chamar mais pessoas para serem salvas do que em qualquer outro mundo que ele poderia ter criado. Esse é um assunto extremamente complexo, que cristãos vêm discutindo há muito tempo. Você encontra uma boa explicação resumida daquilo que eu acredito sobre essa questão aqui: https://www.youtube.com/watch?v=iDYscwBqQGY

(3) Ser independente significa refletir por própria conta sobre as coisas (como você faz), ser capaz de cuidar de si mesma (tipo, se você precisasse morar sozinha, você sobreviveria? rsrs), ter autonomia financeira no momento certo (poder sustentar-se) e por aí vai. Ser independente não é fazer o que dá na cabeça, como algumas pessoas pensam. Isso é ser inconsequente. Também não é uma atitude do tipo “eu me basto”. É poder analisar situações, tomar decisões com a ajuda de Deus e ter maturidade para arcar com as consequências (sejam elas positivas ou negativas). A meu ver, é legal você deixar as coisas fluírem naturalmente. Se você tem amizades saudáveis, que estão crescendo e se aprofundando, em algum momento você vai querer fazer programas com esses amigos, sem sua família. É possível que você também comece a pensar em morar sozinha, em ter seu canto, em ter seu dinheiro, etc. Enquanto essas vontades não aparecem, curta o que você tem agora, confiando que Deus vai lhe mostrar o tempo de todas as coisas e vai dar forças para encerar novos desafios quando for a hora certa. Não apresse nada, mas também não se esconda de nada 🙂

(4) Às vezes, a lentidão em fazer tarefas é cansaço, ou perfeccionismo (tudo tem que estar muuuuito certinho para você considerar a tarefa completada), ou falta de disposição e ânimo. Há uma porção de outros elementos envolvidos. Não tenho como lhe responder melhor sem um exemplo mais específico. Além disso, a gente precisa cuidar com as comparações. Como você sabe que é lenta? É em relação a outras pessoas? Ou é porque você não consegue fazer tudo o que gostaria? Às vezes, a gente também se sente lenta porque enche o dia com atividades demais, o que significa que é hora de reorganizar a agenda. Não sei se alguma dessas possibilidades se aplica a você. Pense a esse respeito e, se quiser conversar mais sobre isso, dê um exemplo específico para trabalharmos juntas.

(5) Essa questão tem a ver com a número (3). Fomos criadas por Deus para depender inteiramente dele em todas as coisas e também fomos criadas para viver em relacionamento próximo com outras pessoas. Hoje em dia, fala-se de dependência como se fosse uma doença quando, na verdade, existe um tipo de dependência muito apropriado. Fazer perguntas e trocar ideias com outras pessoas para poder refletir sobre as coisas não é errado. Eu faço a mesma coisa. Também busco o conselho de outros e tenho amigas mais velhas que eu consulto quando alguma coisa não está clara em minha mente. Acredito que esse é o melhor caminho para o crescimento e para o amadurecimento. Deus, que é um só, também é feito de três “Pessoas” (Pai, Filho e Espírito Santo) que se relacionam entre si e dependem uma das outras. Isso mostra o quanto o aspecto relacional é importante para Deus. E ele enviou Cristo para que nós pudéssemos nos relacionar com ele para sempre! Do ponto de vista de Deus, portanto, aquela independência que nos isola e nos leva a tentar resolver tudo por nossa própria conta não é boa.

O tipo de dependência doentio é aquele em que você deixa de pensar com sua própria cabeça. Ou seja, você faz tudo o que os outros dizem sem questionar, sem comparar com a Bíblia, sem refletir. Uma esposa que sofre violência doméstica e não se separa do marido, por exemplo, tem uma dependência doentia. Ela pensa que não pode viver sem ele de jeito nenhum e, por isso, deixa que ela maltrate. Ela obedece às ordens dele sem questionar se agradam a Deus ou não e se fazem parte de instruções bíblicas ou não. Ela imagina que, sem ele, ela não é ninguém. Essa é uma carência emocional doentia.

A meu ver, portanto, você não é uma pessoa doentiamente dependente só porque escolhe pensar junto com outras pessoas, fazer perguntas e buscar informações por meio de relacionamentos. Isso tudo é apropriado e faz bem. E não existe nada de errado em ter uma “carência emocional” que nos leve a buscar a companhia, a amizade a discussão madura com outros irmãos em Cristo. O fato de Deus ter formado a igreja é sinal claro de ele nos criou para o convívio e para a dependência saudável!

A adolescência é uma fase de transição e, portanto, em que as coisas ainda não estão plenamente claras e estabelecidas. Significa que é um tempo de ter paciência, de deixar as coisas fluírem e de estar aberta para o que Deus vai lhe mostrar com o tempo. Se você estiver andando perto dele, pode ter certeza de que ele vai ajudá-la a construir uma dependência saudável nas pessoas certas e uma independência saudável para construir sua própria vida e, quem sabe, uma nova família – tudo com muita calma 🙂

Ufa, que resposta imensa! Espero que você ainda esteja acordada, rsrs.

Continue questionando, continue conversando e buscando sabedoria e equilíbrio em Deus – essa é uma tarefa para a vida toda.

Até a próxima!

 

Kisses,

Su

Compartilhe!:

Posts Relacionados