Querida Su, embora eu seja boa em português, literatura, sociologia e filosofia, já percebi que tenho dificuldades para interpretar textos. As vezes leio algo num livro, ou num site e não compreendo certa parte da mensagem, releio e releio e nada…como tradutora, e como alguém que interpreta tantas mensagens aqui no blog, você tem algum conselho para me dar? Já ouvi muito “para melhorar interpretação de texto, só lendo”, no entanto, isso não tem se mostrado verdade, fico sem entender algumas coisas do mesmo jeito. O que eu faço? Agora outra dúvida: eu e meus colegas vamos num orfanato na sexta-feira. O que podemos fazer para tornar este dia agradável para as crianças? Eu devo orar com meus colegas de escola? E se eu fizer algo errado nesse dia? É certo eu ir lá uma vez e provavelmente não voltar? Isso adianta de alguma forma? Elas têm de 2 a 7 anos de idade pelo que eu sei… Obrigada pela atenção, que Deus abençoe você, beijos!! P.s.: e como eu faço para ajudar alguém que tem dificuldade em interpretar textos, mesmo se esforçando para acertar? O que eu digo para alguém que acha que isso não pode mudar? D.

Hello, D.! As sugestões que vou lhe dar a seguir já servem para seu “P.S.”. Você pode usá-las para si mesma ou transmiti-las para outra pessoa 😉 São coisas que eu faço no dia a dia e que costumam ajudar.

1 – Comece olhando para o texto como um todo, no contexto mais amplo. Qual é o assunto geral? Se faz parte de um livro, sobre o que é o livro? Se faz parte de um site, do que esse site costuma tratar? Quem está escrevendo? Como é o estilo desse escritor? Às vezes, conhecer melhor as peculiaridades do escrito ajuda a esclarecer algumas construções.

2 – Leia o texto novamente até o ponto em que você enroscou. Marque a passagem difícil e leia o que vem depois. Qual pode ser um significado que ligue o que veio antes e o que vem depois? Siga o fluxo das ideias. Esse é o contexto imediato.

3 – Certifique-se de que você entendeu os significados possíveis de todas as palavras. Eu consulto o dicionário português-português o dia todo, pois nossas palavras têm muitas acepções (sentidos) que fogem ao uso comum. A compreensão incorreta de um ou dois termos pode comprometer a compreensão de um parágrafo inteiro.

4 – Leia em voz alta, mudando o tom de voz, a pontuação e a ênfase das palavras. Às vezes, uma pontuação mal colocada pode bagunçar a frase inteira.

5 – Considere a possibilidade de que o texto foi mal escrito ou de que há erros de digitação ou de construção. Hoje em dia, em nossa pressa de escrever mil coisas, passam erros que dificultam a compreensão (eu sei que isso acontece com minhas respostas aqui de vez em quando, rsrs).

6 – Deixei o mais importante por último: peça capacitação de Deus! Se for realmente importante que você compreenda o que está lendo, ele vai ajudá-la (por meio desses passos e, principalmente, por meio da sabedoria que só ele pode dar) a decifrar o que está escrito. Falo por experiência própria cotidiana 🙂

Saber que podemos contar com a ajuda de Deus nos dá ânimo para estudar mais, aumentar o vocabulário e treinar para melhorar nesse aspecto.

________

Quanto à visita ao orfanato, nas poucas vezes que fiz esse trabalho notei que o maior desejo das crianças é ter quem brinque com elas. Portanto, pode ser apropriado você e seus colegas organizarem algumas brincadeiras em grupo e, depois, separarem um tempo para brincar e conversar individualmente com as crianças. Cantar juntos e dividir um lanche também é legal! Além disso, notei que muitas crianças querem expressões físicas de afeto. Se alguém vier passar a mão no seu cabelo ou segurar sua mão, pode ser legal oferecer um abraço (pergunte antes), ou oferecer para fazer um penteado (leve elásticos e presilhas na mochila). Pintura de rosto (tipo aquelas de festa de criança), brincadeiras que permitam algum tipo de contato físico ou mesmo esportes também podem ser boas ideias. Palavras de elogio sincero são igualmente importantes, tipo “você tem olhos super bonitos!” ou “puxa, como você é forte!”.

E, quanto a orar, eu diria para você perguntar se seus colegas querem isso. Não imponha uma oração. Apenas ofereça. Tipo: “Pessoal, eu vou fazer uma oração pela visita. Quem quer participar?”.

E sim, mesmo que você vá apenas uma vez, vale a pena. Deus pode usar esse momento para fazer com que uma criança se sinta amada e aceita. E, conforme os propósitos de Deus, ele pode colocar no seu coração o desejo de fazer outras visitas. Se alguma criança específica chamar sua atenção, assuma o compromisso de orar por ela. Essa é uma das coisas mais importantes que você pode fazer por ela, mesmo que nunca mais a veja.

Boas leituras, ótima visita e até a próxima!

 

Kisses,

Su

P.S. Depois conte como foi!

Compartilhe!:

Posts Relacionados