Querida Su, senti muitas saudades suas! Li no seu blog sobre “pensamentos intrometidos”, mas pior do que isso percebi que tenho “sentimentos intrometidos” a respeito de outras pessoas, eu sei explicar mas estou com vergonha. Então o que posso dizer é que nunca fiz mal para elas, mas já quis ter o que elas têm. Me sinto muito triste quando paro para pensar nisso, embora em atitudes e na maioria dos pensamentos eu seja sempre uma boa amiga, as vezes não sou. Será que sou falsa? Se essas pessoas sentissem por mim o que sinto por elas em alguns casos, eu suspeitaria da “amizade”, mas o que garante que eu sou melhor do que isso? Estou com medo de ser uma boa amiga só em ações, mas não no coração. Não quero prejudicar ninguém, quero sempre ter bons sentimentos pelas pessoas, quer eu as conheça ou não, quero ficar feliz por tudo o que elas conquistam e por quem elas são. Tenho orado é percebido a ajuda de Deus. Tem algo mais que eu possa fazer? Será que sou uma falsa amiga por causa disso? Será que isso vai mudar completamente? Pensei sobre mim mesma e reparei que sou assim há muito tempo, até gosto de ter me dado conta disso agora, já que posso pedir ajuda de Deus para melhorar, mas tem dias que sinto medo. Beijos, fico feliz que o blog voltou ao ar! D.

Hello, D.! Saudades também! E estou mega feliz que o blog voltou ao ar!
De certa forma, sentimentos e pensamentos intrometidos andam juntos. Isso porque sentimentos não surgem “do nada”. Geralmente, eles são atrelados a pensamentos que às vezes a gente tem e nem percebe. A forma de lidar com ambos é mais ou menos a mesma. Cada vez que você notar um sentimento que não corresponde ao ideal de Deus, apresente isso para ele. Diga: “Olha, Deus, eu estou com  inveja dessa pessoa” ou “Puxa, estou julgando essa pessoa novamente!”. Vá pedindo socorro a Deus de forma pontual, sempre que surgirem essas questões.

E não entre em parafuso, pensando que você é hipócrita ou péssima amiga e cristã por ter esses sentimentos. Todos nós, por mais dedicados que sejamos ao Senhor, ainda temos resquícios da velha na natureza que nos levam a pensar e sentir coisas que não correspondem a nossa nova natureza em Cristo. O modo mais eficaz de combater essas questões é indireto. Ou seja, em vez de “brigar” com o que nos vem à mente e ao coração, dedicamo-nos a atividades e disciplinas que voltam nosso foco para o lugar certo: Para Cristo e tudo o que ele, em seu amor, fez por nós na cruz. Esse trabalho de “refocalizar” é algo que precisamos fazer o dia inteiro, buscando continuamente a ajuda do Espírito.

Por exemplo, digamos que você tenha se esforçado imensamente para alcançar determinado alvo, mas não tenha conseguido. Aí, sua colega de classe que faz o mínimo necessário, por algum motivo misterioso, alcança exatamente o objetivo que você tanto desejava. É possível que sua primeira reação seja sentir inveja, ou ter uma percepção de injustiça, ou simples frustração. Talvez você questione Deus, tipo: “Puxa vida, e por que o Senhor não recompensou o meu esforço e permitiu que a outra pessoa fosse bem-sucedida?”. Quando você perceber esses pensamentos e sentimentos em seu coração, apenas reconheça-os diante de Deus. Não fique remoendo e dizendo para si mesma: “Nossa, como sou invejosa e falsa” (o Inimigo a-do-ra quando a gente faz isso!). Em vez disso, pense no que o sacrifício de Cristo representa para você nessa situação específica: O amor de Deus por você é tão grande que ele entregou o próprio Filho para salvá-la. Por acaso ele não vai lhe dar tudo mais que você precisa? Em Cristo, você já tem o suficiente em todas as coisas. Se você não alcançou esse objetivo é porque ele não é fundamental para sua caminhada cristã.

Deu para entender?  Resumindo: reconheça o problema, apresente para Deus e volte o foco para Cristo (e não para si mesma). Esse ciclo vai se repetir um zilhão de vezes, até que se torne um hábito da mente e do coração. E até o dia em que nos encontrarmos com Jesus pessoalmente, quando poderemos descansar para sempre de todas as batalhas aqui da terra : )

Paz de Cristo para você, amiga, e até a próxima!

 

Kisses,

Su

Compartilhe!:

Posts Relacionados