Seis coisas que você precisa saber sobre masturbação

seiscoisas

Você se masturbou e agora está se sentindo culpada. Você desenvolveu esse hábito, mas quer parar. Ou você nunca se masturbou, mas tem pelo menos uma pontinha de curiosidade de saber como é. Você se identifica com alguma dessas situações? É bem provável que sim, e isso não é razão para vergonha nem desespero!

A primeira coisa que você precisa saber é que, desde a infância, vamos descobrindo vários prazeres, inclusive o prazer sexual. Isso é algo supernatural e não tem nada de pecado. Deus nos deu nossos sentidos para curtir o mundo maravilhoso que ele criou!
As explorações iniciais do corpo geralmente não são associadas a fantasias (pensamentos envolvendo situações e pessoas), mas apenas a sensações. Nesse aspecto, a masturbação faz parte da convivência normal com a sexualidade.

A segunda coisa é que essa exploração pode começar a tomar um rumo diferente na adolescência. O estímulo que dá prazer deixa de ser apenas físico. Ele envolve imagens que a gente passa dentro de nossa cabeça, tipo um filminho. Podem ser coisas que a gente viu na TV, na Internet, em revistas, e por aí afora. Com o tempo, esses filminhos podem ocupar cada vez mais espaço em nossa mente e tomar o lugar de outros pensamentos, o que não é saudável. Deus nos criou para ter uma mente equilibrada.

A terceira coisa é que o hábito de se masturbar pode bagunçar nossas ideias em relação a sexo. Temos um pouquinho do prazer de uma relação sexual sem envolvimento e compromisso com outra pessoa. Deus criou o prazer sexual para ser experimentado entre homem e mulher dentro de um relacionamento para a vida toda, com respeito, carinho, amizade e fidelidade. Nesse contexto, o sexo é um zilhão de vezes melhor, pois não envolve só o corpo, mas todo o nosso ser.

A quarta coisa importante de entender é que existem formas práticas de quebrar o hábito de se masturbar:

1. Procure descobrir o que está causando o desejo. O prazer físico pode ser uma forma de suprir carências. De repente, as coisas não estão legais em sua família, ou você está se sentindo sozinha, ou anda meio angustiada com a situação do mundo ao seu redor. Nessas horas, a masturbação pode se tornar um “refúgio”, um momento em que você sente um pouquinho de prazer em meio a uma vida superdifícil. Se é o seu caso, apresente todas as suas tristezas e angústias para Deus. Peça para ele preencher os vazios, como ele prometeu (Filipenses 4.19).

2. A masturbação tem tudo a ver com o que entra em nossa mente. Filmes, sites, livros e revistas com cenas de sexo, imagens sensuais, ou histórias que misturam romance e relacionamento físico muito próximo não ajudam quem está tentando manter os desejos sexuais no lugar certo. Não adianta você querer deixar de masturbar, mas assistir, ler, ouvir e conversar sobre sexo o tempo todo. Peça ajuda a Deus para selecionar quais estímulos vão entrar em sua vida (Filipenses 4.8).

3. A masturbação também é associada ao tédio (é sério!) e à falta de outras companhias e atividades. Você passa muito tempo sozinha em casa, vai deitar sem estar com sono, ou acorda e fica enrolando na cama? Identifique quais são os momentos em que é mais propensa a se masturbar e peça para Deus ajudá-la a encontrar maneiras de colocar outras atividades nesses momentos.

4. Preste atenção em seu visual e em sua postura. Quando gastamos tempo e esforço criando um look sensual, com roupas e maquiagem para nos sentirmos sexy, não estamos apenas despertando desejo em quem nos vê, mas criando desejos dentro de nós mesmas.

A quinta coisa que você precisa saber é que uma vida sexual saudável antes e depois do casamento precisa de uma caminhada próxima com Deus. Não adianta chamarmos masturbação de imoralidade e nos esquecermos de outras questões, pois a nossa vida interior é feita de um conjunto de pensamentos e sentimentos, que não ficam guardados em caixinhas separadas.

Embora o ato de se masturbar não faça parte do ideal de Deus, pode ser que aconteça de vez em quando. Fofocas, mentiras, inveja e brigas também não fazem parte do ideal de Deus, mas são tropeções que damos às vezes, e não são nem melhores nem piores que a masturbação. Precisamos pedir que Deus trabalhe em nossa vida como um todo e precisamos aprender a aceitar a graça, a misericórdia e o perdão de Deus quando erramos o alvo que ele tem para nós (ou seja, quando pecamos). Não adianta nada ser “pura” em sua vida sexual, mas tratar os pais com desrespeito, colar na prova, invejar a aparência e as coisas de outras pessoas, etc.

E a sexta coisa que você precisa saber é que, se a masturbação acontecer, não deve ser motivo para nos afastarmos de Deus com vergonha e medo, mas sim, para nos aproximarmos ainda mais dele. Por vezes, a culpa que sentimos nessa área não vem de Deus, mas sim, daquilo que outras pessoas nos dizem. E Satanás gosta muito de usar a falsa culpa para nos distanciar de Deus. Se você tem pensamentos do tipo: Puxa, eu fiz isso de novo! Deus já se cansou de mim. Sou suja e não mereço o amor de Jesus, com certeza eles NÃO vêm de Deus.

Lembre-se de que Jesus foi tentado em todas as coisas (inclusive na área sexual) e sabe exatamente como algumas situações são difíceis para nós. Leia com muita calma Hebreus 4.15 e pense sobre isso. E, se você tropeçar ou se as tentações e dificuldades parecerem insuportáveis, achegue-se ainda mais a Deus para “receber misericórdia e encontrar graça que a ajude no momento da necessidade” (veja Hebreus 4.16).

Quer saber mais sobre esse assunto?

Veja aqui:

Masturbação e virgindade

Masturbação e virgindade

Masturbação com objetos

Sua vagina não é um porta-treco

Vício da masturbação

Como me livrar do vício da masturbação?

Compartilhe!:

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *